Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

e a vida para além deles...


11
Nov13

Li o post do blog http://letmedream.blogs.sapo.pt/ sobre perdoar e comentei. Apeteceu-me escrever um comentário com 1000 linhas mas depois pensei..esperá la... eu agora tenho um sítio melhor onde posso escrever sobre isto... . "Perdoar" mudou a minha vida. Perdoar, não é fácil. Quando me divorciei fiquei com o coração cheio de mágoa. "NUNCA te vou perdoar, nunca!" Disse isto tantas vezes. E isso enchia-me, preenchia-me. E vivia agarrada (âncorada) àquele sentimento. Era com ele que acordava e era com ele que me deitava. Eu estive casada 6 anos e separei-me o meu filho tinha 10 meses. Fiz as malas e rumei a Portugal onde comecei uma nova vida..sozinha. A mágoa era enorme. A raiva era enorme. O divórcio é uma coisa terrível. Dói muito. Especialmente para uma pessoa que, como eu, nunca tal tinha equacionado e não conhecia essa realidade. O recomeçar, o voltar a criar rotinas, verbalizar "sou divorciada" (continuo a detestar essa palavra)... é duro (a sério, é mesmo duro). Os amigos não estão contigo quando deitas o teu filho à noite e vais para cama...sozinha. Quando te habituaste anos a fio a partilhar a cama com alguém. E eu não queria que os meus amigos tivessem pena de mim... o que quer que eles dissessem para mim não fazia sentido ("eles sabiam lá do que falavam!"). Depois o sentimento de culpa perante o meu filho massacrava-me. "Nunca te vou perdoar, Nunca. O que fizeste à minha vida??" Aparentemente eu superei bem o meu divórcio e hoje, felizmente a minha vida é outra e é tão boa (boa mesmo!). Mas foi quando aceitei esta nova vida. Foi quando perdoei. Perdoar não é esquecer. Eu nunca me vou esquecer do que vivi. Mas não quero esquecer nada. E também não me vou esquecer dos momentos felizes que tive e do quão bons foram muitos anos. E só quando perdoei é que larguei a âncora que arrastava e vi à superfície. E percebi que a minha vida é como aquele livro de contos que leio ao meu filho à noite. Acabamos um conto mas na página seguinte recomeça logo outro. E o divórcio foi uma oportunidade de uma nova vida. E agora, olhando para trás eu vejo que AINDA BEM que tudo se passou como passou. Eu estou mesmo melhor. Quando olho à volta e vejo tantas mulheres (somos mais nós do que eles) divorciadas hà tanto tempo e ainda massacradas e amarguradas e com raiva do pai dos filhos só me apetece chegar ao pé delas e gritar "DEIXA IR...Se não deixares esse sentimento de lado não vais conseguir ter e viver a tua própria vida"... é que o objectivo de vida deixa de ser a felicidade própria para ser "como é que eu vou infernizar a vida do meu ex marido?". Aí entram as maiores armas de todas: os filhos. Eu não digo que esqueçam o que se passou e que se tornem as melhores amigas dos pais dos filhos e organizem jantaradas...de todo!!! Socorro. É por nós. Perdoar, para mim, é uma coisa egoísta. Eu precisei de perdoar e aceitar.  Moving on...

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

De Ben a 13.11.2013 às 15:10

Já te tinha respondido no meu blog... Mas é isto mesmo a que eu me referia... É isto e ainda em que seguiste em frente... Por ti, pela tua felicidade... Pelo teu filho.
;)

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D