Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

e a vida para além deles...


08
Nov13

 

 

Aprendi isto à minha custa. A ideia formatada de que a vida tem que ser assim ou assado. Namorar, acabar o curso, arranjar um emprego pra a vida, casar, ter filhos... Quem estiver a ler isto (se é que alguém está...) neste momento deve estar a revirar os olhos e a pensar "que monte de banalidades, claro que não é assim"... mas não será? Qual é a mulher que chegada aos 30 anos sem ter casado e sem filhos que não pensa nisso? Qual é a pessoa que farta da sua profissão não pensa 50 vezes antes de trocar de emprego? Qual é a pessoa casada que quando se divorcia não se sente frustrado porque o plano que tinha para a sua vida foi ao ar? Eu fiz uma vida "certinha" até ao final da faculdade. Terminei com 23 anos e comecei a estagiar. Depois... sem que nada o fizesse prevêr mudei-me para o outro lado do mundo com uma pessoa, casei, acabei por viver lá um monte de anos, o meu filho mais velho nasceu lá... entretanto separei-me e regressei a Portugal. Durante algum tempo eu só conseguia pensar que a minha vida não era àquela... não podia ser!! Eu, divorciada?? Eu, mãe solteira?? Eu, desempregada?? Mas como?? Aquela não era a vida que eu tinha planeado... Durante muitos meses eu fingi estar bem mas não estava. E depois não tive sorte nenhuma porque toda a gente à minha volta tinha uma vida (aparentemente) "normal". Onde é que eu me ia encaixar? Foi no momento em que comecei a aceitar que a vida não se planeia...a viva vive-se, que comei... a viver.

Autoria e outros dados (tags, etc)


7 comentários

Imagem de perfil

De Ben a 09.11.2013 às 12:10

Concordo a 100% ... Ainda que a vida corra dessa forma quase que standard de uma vida normal, que sejam sem planos... Claro que há objectivos a que nós devemos propor mas é o resto? Deixa-te viver... Quando te perguntavas onde te irias encaixar, quando todos os outros tinham uma vida, aparentemente, normal... Simples é a tua vida... Simplesmente sente-a ;)

Bom fim-de-semana
Imagem de perfil

De osmeusosteusosnossos a 13.11.2013 às 12:00

Sim. Eu hoje vejo e sinto isso...
Imagem de perfil

De Joana a 09.11.2013 às 19:55

Diz bem "gente com vida aparentemente normal". Durante anos eu demonstrei essa vida, não era feliz, mas tinha vergonha de não o ser.
Por mais planos que façamos por vezes a vida troca-nos as voltas. Umas vezes a coisa corre mal outras mostra-nos onde está a felicidade. Pelo eu li do post, hoje é feliz o que quer dizer que valeu a pena.
Imagem de perfil

De osmeusosteusosnossos a 13.11.2013 às 12:01

Hoje sou. Mas há sempre aquele "padrão de normalidade" que insiste em pesar... não acha?
Sem imagem de perfil

De Paula a 10.11.2013 às 12:27

Eu acho que... tens muita razão!
Cada vida é única e constrói-se como se pode.
Ninguém tem vidas normais. A normalidade é aparente. Todos têm os seus dramas, alguns apenas mais visíveis que outros.
Cada um tem de trilhar o seu caminho, fazer as suas escolhas.
Temos de aceitar o que temos e SER FELIZES!
vidademulheraos40.blogspot.com (http://vidademulheraos40.blogspot.com/).
Imagem de perfil

De osmeusosteusosnossos a 13.11.2013 às 12:00

Acima de tudo termos que ser fiel a nós mesmos e seguir o nosso caminho, não é?
Sem imagem de perfil

De Ana a 04.03.2014 às 21:15

Boa noite,

Por momentos revi a minha história.
Terminei o curso com 23 anos, comecei a trabalhar, juntei-me com o meu namorado, após 4 anos casamos e durou 2 anos... Separei-me com 29 anos... A palavra divórcio ainda me custa muito. Tal como tu à minha volta todos tinham uma vida normal... Mas hoje e ainda só passou um ano e tal... Estou muito melhor. Conheci o meu namorado que tem um filho com 7 anos. A adaptação tem sido boa e em breve vamos tentar ter um filho. Não gosto da palavra madrasta...costumo dizer que sou a Boadrasta (tia). Somos felizes...mas algumas pessoas também não entendem isso...
Claro que para quem como eu não tem filhos a adaptação foi mais difícil. Mas não são as crianças que tornam este processo difícil mas sim os adultos, neste caso a mãe... Porque infelizmente ainda há muitos casos em que preferem colocar os seus problemas à frente da proteção e felicidade dos filhos.



Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D