Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

e a vida para além deles...


27
Nov13

Autoria e outros dados (tags, etc)

Este fim de semana fui sair à noite. Mas sair à noite à séria como fazia há uns anos atrás. Fui a um jantar de anos de um grande amigo e fui para uma discoteca até às 7.00h da manhã. Juro! Ainda estou para perceber como é que isto aconteceu e em que fase da noite (ou do dia) é que eu achei que não tinha filhos e que "um dia não são dias" (adoro esta expressão porque há sempre alguém que se lembra disto para justificar uma coisa qualquer péssima que está para acontecer ou que acabou de acontecer). Não sei bem mas acho que as palavras "bar aberto" e shots ajudam a explicar muita coisa. E lá andámos nós felizes e contentes aos pulos como se no outro dia fossemos dormir até às 18h como a maior parte das pessoas que nos rodeavam naquele momento. Nós casamos e tivemos filhos muito cedo.... se calhar por isso é que as nossas anteriores relações não resultaram mas não só por isso porque há muita gente que casa e cedo e a coisa dura e dura... mas a verdade é que a maior parte dos nossos amigos ou ainda não casou, ou casou e não tem filhos ou está a começar agora a pensar nisso. Ou melhor, os nossos amigos que continuam a jantar fora e a sair à noite. Damos por nós imensas vezes a pensar nisto. Há dois mundos de pessoas que nos rodeiam, os que têm filhos e não fazem programas à noite e os que não têm filhos e saem à noite até de manhã. Nós continuamos a sair e temos filhos por isso achamos sempre que estamos meio entalados... é que para nós sair à noite hoje em dia é ir jantar fora e vá... dançar um bocadinho a qualquer lado mas não beber muito alcool e acordar cedo para estar com eles no dia seguinte. Coisa que os nossos amigos sem filhos não fazem porque sair à noite não é isso (no entender deles) e coisa que os nossos amigos com filhos não fazem porque sair à noite não existe. Mas eu preciso de estar com amigos e tenho uma pessoa ao meu lado igual a mim. Temos a sorte de ter uns super avós que não se importam de ficar com eles às vezes à noite no fim de semana e aproveitamos esse espaço para estamos juntos só nós ou para estamos juntos em grupo. Não seria melhor mãe se abdicasse disso. Se calhar andaria menos cansada e teria menos olheiras mas seria mais infeliz. Consigo sempre acordar cedo para estar com eles e isso para mim é tudo. Mas este fim de semana foi diferente..... este fim de semana deitei-me ainda em loucura "beeeemmm, é de dia!! uau! Há quantos anos é que isto não acontecia?!".... e acordei em desgraça a olhar para o relógio e perceber porque é que isto não acontecia há muitos anos (e não vai acontecer enquanto eu me lembrar). Rapidamente o almoço em casa dos sogros passou para um almoço alancharado, o levantar-me da cama ganhou todo um novo significado e uma ressaca aos trinta não tem nada a ver com uma ressaca aos vinte. Pior que uma ressaca aos 30 é uma ressaca aos 30 com miudos pequenos. Agora de repente não me estou a lembrar de nada pior do que isto. E lá fomos nós com 5 horas de sono e umas olheiras descomunais buscar os miudos a casa dos avós. Mas a parte boa é que fomos juntos e quando chegamos ligamos o piloto automático, agarramos neles (e nos oculos escuros) e fomos brincar para o parque e ainda fomos lanchar. Depois acabamos por estar com amigos que ficaram connosco na noite anterior e que acordaram às 18h. A nossa vida mudou muito mas continuo a achar que há um meio termo em que tudo é possivel se nós quisermos mesmo. Este fim de semana ultrapassei lagramente o meio termo e hoje, terça feira, com uma pós graduação depois do trabalho sei que vou chegar a casa acabada, mas valeu a pena. Divertimo-nos tanto!!! Para não repetir com esta intensidade nos próximos tempos mas continuo com a uma vida cheia de amigos e não me afastei deles porque tive filhos. Andamos mais cansadas mas felizes. Temos um bom equilibrio e estamos juntos "na guerra"... e isso enche-me a alma e afasta o cansaço. Não trocava a minha vida por nada

Autoria e outros dados (tags, etc)

26
Nov13

Ontem saí do escritório a correr porque o meu filho (5 anos) tinha um trabalho de casa... Não consegui fazer nada com ele durante o fim de semana porque entre festas de anos dele, festas de anos de amigos meus e idas ao colégio para trabalhar nos fatos para a peça do Natal, o tempo não esticou. Então quando cheguei lá estava ele à minha espera de tesoura na mão e cola na outra preparadissimo para a mega construção de um super móbil de Natal. GOD! Eu que nunca tive jeito para nada daquilo e sou zero prendada em trabalhos manuais tinha à minha frente um pau, fio de nylon, cartolinas, missangas, moldes, adereços para enfeitar...SOCORRO. E tinha-o a ele contente a achar "Boa mãe! Agora que finalmente chegaste vamos lá fazer isto!"... "Ok... tudo controlado!", disse eu (quase a chorar). Lá começamos e entre tesouradas meio ao lado, cola, (e uma chamada para a avó porque o pai estava atrasado e o bebé queria a toda a força participar na empreitada) lá fizemos o mobile. E ficou lindo!! Quer dizer.. para um miudo de 5 anos aquilo está fantastico e é suposto serem eles a fazer, certo? É que ser mãe, trabalhar, brincar, fazer tudo o que é preciso e ainda o que é esperado não é mesmo nada fácil. Eu sei que o colégio que ele frequenta cultiva imenso a relação pais e filhos e os pais são chamados a intervir no dia-a-dia da escola mas para quem trabalha a coisa não é muito pacifica. Salvou-nos a avó e salvou-nos o pai que acabou por chegar e ajudou. Acabou por correr tudo bem mas o futuro inquieta-me... tenho amigas com filhos mais velhos que ficam malucas com os trabalhos de casa e que se fecham fins de semana inteiros a fazer os trabalhos com eles. Acho estranho porque nunca me lembro de ter tido os meus pais colados a mim a fazer os trabalhos de casa... mas não critico. Aprendi a ficar caladinha. Quando for comigo sei lá se não faço o mesmo. So far so good. Mobile done!

Autoria e outros dados (tags, etc)

A propósito deste vídeo http://www.youtube.com/watch?v=oHv6vTKD6lg, o http://letmedream.blogs.sapo.pt lançou-me um super desafio que consiste em escrever sobre a pessoa mais importante da minha vida...

 

REGRAS:

Escrever o nome da pessoa que consideram mais importante e justificar;

(Se quiserem e se sentirem à vontade com isso liguem para a pessoa e leiam o que escreveram)

Nomear 3 bloggers para este desafio

Pedir que visitem o blog http://letmedream.blogs.sapo.pt e que digam que participaram neste desafio (assim eu saberei todas as histórias)

 

A pessoa mais importante para mim é uma pessoa que está comigo sempre. É uma pessoa que apareceu na minha vida quando eu achava que já não ia aparecer ninguém que me fizesse sentir "daquela maneira". É uma pessoa que cuidou de mim quando eu achava que estava bem era sozinha. É uma pessoa que abraçou o meu filho como se fosse dele e comigo criou uma nova família. É uma pessoa que me faz rir perdida o tempo inteiro. É uma pessoa que me irrita solenemente de vez em quando mas sem a qual eu já não conseguiria viver. É uma pessoa com a qual eu estou sempre bem, segura e descansada. É uma pessoa que nunca desistiu. É uma pessoa que tem sempre tempo para me ouvir, para ouvir os filhos dele, o meu e o nosso. A pessoa mais importante na minha vida é uma pessoa que me ofereceu uma nova vida. A pessoa mais importante da minha vida... és TU.

 

(não sei nomear 3 bloggers para o desafio...ainda sou muito tenrinha nestas coisas dos blogs. Quando aprender volto aqui para fazer isso, juro!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

22
Nov13

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/6



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D